Tag - #ead

7 dicas para evitar riscos trabalhistas (e reduzir prejuízos para sua empresa)

Historicamente, o Brasil figura entre os países com mais processos trabalhistas do mundo. É fato que, com a Reforma Trabalhista, os números caíram. Mas, ainda sim, as empresas brasileiras sofrem grandes prejuízos com as ações movidas pelos seus empregados. E por que isso acontece? Na maioria das vezes, por desconhecimento da legislação e dos direitos e deveres dos trabalhadores. E, em alguns casos, por má gestão.

É preciso realizar um trabalho preventivo a fim de minimizar os passivos trabalhistas e evitar riscos trabalhistas. Além de diminuir o pagamento de pesadas indenizações à Justiça do Trabalho, a empresa deve também pensar na sua reputação. Afinal, uma companhia sem processos, é uma companhia feita de pessoas felizes, realizadas, com um time engajado. Uma empresa desejada, cobiçada e de sucesso. Ou seja: idônea e ética.

Nesse artigo, listamos 7 práticas que podem minimizar reclamações e riscos trabalhistas. Vamos conhecer essas dicas?

1) Mantenha um controle de ponto eficiente
Sabe qual o motivo número 1 de reclamação trabalhista? Hora extra. Então você precisa investir em um bom controle de ponto, que não apresente falhas na contagem. Preferencialmente um sistema digital, automatizado (já que o controle manual é bastante questionado na Justiça). Vale lembrar que, por lei, empresas com mais de dez funcionários obrigatoriamente devem manter um controle de ponto.

2) Faça um arquivamento nota 10
Chegou a fiscalização, e agora? Um empregado entrou com uma ação, os documentos estão em ordem? Esteja preparado, arquivando tudo de forma correta, tanto físico quanto digitalmente (sim, digitalize tudo!). Arquive em ordem alfabética e por data. Guarde os contratos de trabalho, os registros de pontos, atestados médicos, férias, etc. Não meça esforços nesse sentido.

3) Peça a assinatura de todos os documentos
Peque que excesso e peça ao colaborador que assine todos os documentos: holerites, recibos de pagamentos, adiantamentos, férias, aviso-prévio, folhas de ponto, advertências, entregas de materiais de segurança, saque de FGTS, recebimento das guias para seguro-desemprego, etc. Tudo. Previna-se. Guarde todos esses recibos, digitalize. São documentos importantíssimos em caso de defesa na Justiça do Trabalho.

4) Ofereça e fiscalize a segurança
Muitas reclamações acontecem por conta de “acidentes de trabalho”. E eles muitas vezes se dão pela falta de equipamentos de proteção individual, pelo uso inadequado deles ou por equipamentos não certificados. Então fique atento a isso. Dissemine uma cultura que valorize a segurança do trabalho, implemente programas, fiscalize seus funcionários, faça manutenção de máquinas e EPIs e, claro, só compre equipamentos realmente seguros!

5) Cultive relações de respeito e dignidade
Outro motivo de ações trabalhistas é caracterizado por “danos morais” (“exposição do trabalhador(a) a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho em que predominam condutas negativas, relações desumanas”). Que tal criar um regulamento interno sobre ética, que reforce as relações dignas e de respeito entre os colaboradores? Também é importante manter canal aberto para comunicação de qualquer denúncia, promover debater sobre o tema e criar campanhas preventivas na empresa.

6) Comunique-se com seus funcionários
Mantenha a comunicação com seus colaboradores. Dê espaço para que eles tirem dúvidas sobre seus direitos e deveres, sobre as normas e políticas da empresa (inclusive, convide-os para participar de algumas decisões a esse respeito). Faça com que eles se sintam ouvidos e mostre que eles têm espaço real dentro da organização. Isso evita conflitos futuros e erros de interpretação que podem, muitas vezes, parar na Justiça. Crie engajamento e tenha colaboradores muito mais dispostos a dialogar diante de qualquer impasse futuro.

7) Conhecimento é poder
Conhecer a legislação vigente e as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho da sua categoria é FUN-DA-MEN-TAL e reduz drasticamente o passivo trabalhista. Os profissionais do RH, especialmente, devem dominar tudo o que diz respeito às relações trabalhistas e ajudar os demais departamentos da empresa a cumprir as normas. Também cabe ao RH construir uma boa relação com o sindicato que representa os empregados, conhecer os acordos, quais são os principais riscos envolvidos na área de atuação da empresa, os fatores de periculosidade, insalubridade ou doenças ocupacionais, etc. Ou seja: informação, informação, informação.

 

Pode-se perceber que tudo diz respeito a conhecimento, atenção e manutenção de boas práticas. Além de substanciais economias com passivos trabalhistas, a empresa ainda ganha reputação e um time mais engajado. Ou, seja, vale a pena investir na gestão de pessoas, evitando riscos trabalhistas.

A Évolus acaba de lançar o curso online “Como evitar riscos trabalhistas”, com a professora e advogada especialista em direito do trabalho Lilian Babo. Veja o vídeo-teaser  e faça a matrícula agora mesmo.

Educação à distância e varejo: uma excelente combinação

Qualificar os colaboradores de forma rápida e com custos baixos é essencial para garantir a competitividade das empresas do setor

Um relatório divulgado em 2016 pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) mostra que o Brasil tem o segundo maior número de estudantes com baixa performance em matemática básica, ciências e leitura, em uma lista de 64 países do mundo. Embora o País seja um dos países que mais investem em educação no mundo e a situação tenha melhorado em relação às décadas anteriores, ainda há desafios estruturais a resolver.

Isso faz com que uma população com sérias deficiências educacionais chegue à idade de trabalho, colocando na mão das empresas uma necessidade adicional de realização de treinamento. Por isso, o investimento em qualificação profissional está entre as principais características das principais empresas para trabalhar, não importa qual seja o setor da economia. É praticamente senso comum que colaboradores mais qualificados aumentam a competitividade das empresas, mas, ao mesmo tempo, é preciso ultrapassar grandes obstáculos, como a rotatividade das equipes, a distância geográfica entre as unidades da empresa e os altos custos de atualização dos materiais de ensino.

Essa situação se mostra de forma ainda mais intensa no varejo: seja em lojas independentes ou em redes de abrangência nacional, a dificuldade de dedicar parte do salário ao ensino complementar e o fato de que muita gente ainda encara a atuação no setor como uma atividade temporária desestimulam a educação no setor. Nos últimos anos, porém, a profissionalização do varejo e os avanços tecnológicos têm transformado esse cenário.

Com o amplo acesso da população a telefones celulares, os cursos online (EAD) têm crescido como uma alternativa mais barata, rápida e acessível de acesso a conteúdos importantes para o desenvolvimento profissional. Em vez de enfrentar trânsito para ir até uma sala de aula no final de um longo dia de trabalho, o profissional pode receber conteúdo em pílulas, acessá-lo em qualquer intervalo do expediente e, assim, incorporar esse aprendizado mais rapidamente.

Para as empresas, as vantagens são claras: treinamentos em larga escala se tornam mais viáveis, uma vez que não é preciso reunir grandes equipes em um único lugar, e o custo de distribuição do conteúdo cai consideravelmente. Além disso, a interatividade trazida pelos recursos digitais proporciona um aprendizado muito mais dinâmico, com fóruns, chats e a participação ativa de tutores, professores e alunos.

A composição de conteúdos “em pílulas”, adaptados às necessidades de um público que tem pouco tempo para se atualizar e nem sempre possui planos ilimitados de acesso à internet, facilita a absorção das informações, ao mesmo tempo em que oferece aos alunos a flexibilidade de estudar apenas aquilo que mais importa naquele momento. Especialmente no Brasil, em que grande parte da população tem que lidar diariamente com as limitações de espaço de seus smartphones, várias empresas desenvolveram plataformas 100% web, para que os alunos não precisem baixar aplicativos e, assim, simplifiquem o acesso às aulas.

No exterior, empresas como Udemy, Coursera e Codecademy, assim como a EduK no Brasil, oferecem milhares de cursos online que, de forma simples e prática, aceleram o aprendizado e proporcionam uma formação profissional 100% gerenciada pelo aluno, que escolhe, entre as opções disponíveis, aquelas que mais se adequam aos interesses e possibilidades financeiras naquele momento. Com foco no varejo, a Évolus cria novas oportunidades de aceleração do aprendizado no setor que é o maior empregador privado do Brasil, com baixo custo. Além dos cursos disponíveis ao público em geral e muito acessíveis (tanto financeiramente quanto pelo baixo consumo de dados), a plataforma também é customizável para empresas, que podem dispor de uma solução personalizada de baixo custo e alta penetração para criar programas de treinamento totalmente adaptados à realidade de seus negócios.

Hoje, capacitação e treinamento são estratégicos para que as empresas se diferenciem no mercado. Qualificar os colaboradores de forma rápida e com custos baixos é essencial para garantir a competitividade do varejo.

Conheça 5 vantagens do treinamento à distância para as empresas

Interatividade, flexibilidade de horários e a possibilidade de estudar em qualquer lugar estão entre os destaques dessa modalidade de ensino, que ganha cada vez mais adeptos

 

De acordo com a pesquisa Panorama do Treinamento no Brasil 2016, realizada pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), as empresas têm planos de qualificar seus colaboradores, para ter times cada vez mais engajados e competitivos. Porém, fatores como rotatividade de funcionários, distância geográfica entre as equipes e morosidade na atualização de materiais físicos de apoio e metodologias têm sido uma pedra no sapato das áreas de treinamento.

Neste contexto, as ferramentas de ensino à distância têm se destacado como alternativa por sua eficiência e menor investimento, se comparado a um treinamento presencial. A seguir, relacionamos 5 vantagens desta modalidade de ensino. Confira!

  1. Acessibilidade: o aprendizado acontece em qualquer hora e lugar, conforme as possibilidades de estudo de cada aluno. Além disso, os gestores podem traçar planos com seus times de acordo com o ritmo de aprendizagem de cada um e o tempo disponível.
  2. Autoaprendizagem as metodologias utilizadas para ensino à distância estimulam o protagonismo, a curiosidade e a empatia do aluno. Com vídeos mais curtos e conteúdos mais objetivos, as técnicas ampliam o conteúdo e incentivam a pesquisa e a aplicação dos aprendizados no dia a dia.
  3. Interatividade: Com ferramentas online e acessíveis, o aluno pode manter seu aprendizado em dia, além de compartilhar ideias, dúvidas e experiências com tutores e outros colegas, utilizando fóruns, grupos específicos ou, até mesmo, participando de transmissões ao vivo.
  4. Gestão do aprendizado: Por meio de relatórios e dashboards, as empresas conseguem mensurar o progresso individual e/ou coletivo, além de avaliar a absorção do conteúdo e analisar o comprometimento de cada colaborador.
  5. Otimização de custos: Empresas que têm seus funcionários espalhados em áreas geograficamente distintas sabem que os custos com logística geralmente pesam muito. Portanto, capacitar suas equipes por meio de uma plataforma online mostra-se uma excelente opção, pois garante que os conteúdos estejam disponíveis em um único ambiente virtual, que pode ser acessado por vários colaboradores ao mesmo tempo, de onde estiverem.

 

São tantas as vantagens deste tipo de metodologia de ensino que não caberiam em apenas um artigo. Então, enquanto a gente continua pesquisando para te dar mais informações sobre o assunto, clique aqui e conheça um pouco mais sobre a Évolus, uma plataforma de conhecimento, carreira e capacitação digital que contribui para uma melhor qualificação dos profissionais para o mercado de trabalho.

Ensino à distância exige disciplina e organização

Confira dicas que vão te ajudar a ter um desempenho ainda melhor durante o aprendizado online

O ensino a distância (EAD) vem se fortalecendo nos últimos anos devido a características próprias, como flexibilidade para estudar de qualquer lugar do mundo, investimento atrativo quando comparado aos cursos presenciais e autonomia do aluno no direcionamento do seu aprendizado.

Esse movimento se deve principalmente à quantidade de responsabilidades que os estudantes assumem na vida adulta, como família, trabalho e atividades sociais, que demandam uma maneira mais eficiente de gerir o tempo e dar conta de todos os aspectos pessoais e profissionais. Entretanto, uma barreira que ainda faz com que muitas pessoas deixem de se qualificar e avançar nos estudos é a dificuldade em organizar os estudos a distância.

No EAD, você é dono do seu tempo e o organiza conforme suas necessidades, mas para que tenha êxito, você precisa estar comprometido com os seus objetivos e não abandonar os estudos na primeira dificuldade que surgir.

Neste guia, vamos te ensinar a permanecer firme em seu propósito de avançar na sua carreira, dando dicas de como estabelecer uma rotina de estudos que favoreça o seu aprendizado.

Pronto para alavancar os seus estudos? Então, vamos lá!

Elabore um plano de estudos

Como em tudo na vida, estudar requer planejamento. Planejar é definir um roteiro, um caminho para atingir seus objetivos de estudo. Se você está começando uma graduação a distância, por exemplo, seus objetivos de curto prazo são concluir as disciplinas com aproveitamento máximo e o objetivo global é terminar o curso e ser aprovado.

No EAD, assim como no ensino presencial, você tem módulos que devem ser desenvolvidos ao longo de um determinado período de tempo. O plano de estudos consiste em organizar o seu tempo de modo que você consiga concluir os módulos dentro do tempo previsto, realizando as atividades propostas, recebendo feedback do tutor e podendo rever seu desempenho com tranquilidade.

Por que elaborar um plano de estudos

Muitas pessoas acham que estudar a distância é fácil, basta sentar em frente ao computador e deixar a aula “rodando” enquanto faz outras coisas. Isso é um engano, já que seu aprendizado é colocado à prova a todo momento, nos fóruns, chats e atividades propostas pelo tutor. Elaborar um plano de estudos vai permitir que você não se distraia dos seus objetivos, e ainda:

Mantenha o foco no que é mais importante

O plano de estudos vai te ajudar a manter o foco nas disciplinas em que tem maior dificuldade ou que precisa se dedicar mais, como disciplinas de base para o restante do curso. Com um plano de estudos bem elaborado você pode destinar mais tempo para aqueles conteúdos mais densos e que exigem mais reflexão.

Otimize seu tempo

Se você não tem um planejamento para manter os estudos em dia, vai acabar acumulando conteúdos ao longo da semana, quem sabe até do mês. Esse atraso terá que ser recuperado em algum momento, o que pode significar deixar de fazer outras coisas importantes para você. Sendo assim, o plano de estudos vai te ajudar a organizar a sua rotina e manter a qualidade da sua aprendizagem ao longo do tempo.

Aprenda gradativamente

Você já deve ter ouvido falar que consolidamos o conhecimento aprendido ao longo do dia quando dormimos. Isso quer dizer que, se você tiver passado o final de semana inteiro estudando e colocando os conteúdos em dia, terá muita coisa a processar na hora de dormir, e os detalhes podem ser perdidos. Em contrapartida, se você estudar menos tempo durante toda a semana, terá uma carga de conteúdo adequada para memorizar, e seu cérebro trabalhará mais facilmente para consolidar o conhecimento.

Como elaborar o seu plano de estudos

Cada pessoa tem sua própria forma de estruturar um planejamento. Algumas preferem fazer isso no computador; outras, em uma agenda de papel; outras, em um quadro branco, bem à vista. Selecione a melhor forma de manter seu cérebro concentrado no que tem que fazer e:

Defina seus horários de estudo

Ter um horário fixo de estudos vai ajudar a organizar a sua rotina, por mais que na segunda-feira seja das 19h às 21h e na quinta das 10h às 12h. Marcar esse compromisso com você mesmo fará com que você se habitue a estar pronto para estudar nesses horários.

Trace seus objetivos

Se você deve cursar um módulo em um mês, quantas horas por semana deve dedicar a cada módulo?

Trace seus objetivos, como concluir duas videoaulas por dia e realizar os testes uma vez por semana. A cada objetivo atingido, comemore, dando-se um tempo de descanso para fazer outras coisas.

Registre seu progresso

No EAD, você tem maior autonomia para estudar. Não existe aquela pressão insistente de um professor cobrando que você entregue suas atividades, o que pode fazer com que você perca a noção de quanto progrediu nos seus estudos. Para se manter motivado, faça uma linha do tempo dos seus estudos, marcando a data em que deseja concluir o curso. A cada meta alcançada, faça uma marcação. Revise quanto falta para terminar e anime-se!

Seja franco consigo mesmo

O ser humano tem mania de dar desculpas para aquilo que não está fazendo bem: “estou cansado”, “amanhã eu começo”, “essa semana foi atribulada demais”.

Não se deixe levar pela procrastinação, senão você corre sérios riscos de não atingir seus objetivos. Seja franco consigo mesmo, avalie seu desempenho e seu ânimo para estudar. Se houver algo impedindo que você se dedique aos estudos, procure entender do que se trata e como resolver a situação.

Aposte em estratégias de gestão do tempo

Estudar a distância é um dos grandes trunfos de quem não tem muito tempo para ir até uma instituição de ensino. Se você parar para pensar no tempo que você leva para se deslocar de um lugar a outro nas grandes cidades, vai perceber que o EAD é realmente uma boa opção para não perder tempo com aquilo que não traz resultados para você.

Tirando o trânsito, você pode pensar em mil coisas que podem atrapalhar seus estudos: horas extras no trabalho, uma visita inesperada, aquela consulta ao médico que está marcada há tempos, a reunião na escola dos filhos, entre outras. Uma boa forma de conciliar todos os seus afazeres diários e ainda ter espaço para os estudos é fazendo uma boa gestão do tempo. Veja algumas dicas:

Estabeleça prioridades

O que é prioridade na sua vida? Aquele passeio no shopping no domingo ou concluir o seu módulo de planejamento estratégico? Muitas vezes estabelecer prioridades parece uma crueldade com nossas vidas particulares, mas você precisa ter uma visão de longo prazo e visualizar os benefícios que cada decisão tomada pode trazer.

Ao priorizar aquilo que é mais importante, você estará otimizando seu tempo para que as coisas realmente relevantes sejam feitas. Se sobrar tempo, não hesite em fazer aquilo que gostaria, afinal, ninguém é de ferro.

Trace objetivos e metas

Já falamos sobre os objetivos no capítulo anterior, mas relembramos aqui porque também é uma ótima maneira de otimizar o seu tempo. Se você tem como objetivo terminar um módulo em um mês, qual a sua meta semanal de estudos? Quantas horas deve se dedicar?

Deixe seus objetivos e metas sempre à vista para que você possa recordá-los todos os dias. Isso ajudará a manter o foco e não perder tempo com distrações.

Organize sua agenda

De papel, no computador, no celular… Não importa. Ter uma agenda com todos os seus compromissos ajuda a dimensionar a quantidade de tempo que você tem para dedicar a cada tarefa. Só não se esqueça de contabilizar o tempo de deslocamento e os intervalos para comer, afinal, sem uma alimentação adequada, sua aprendizagem fica prejudicada.

Saiba dizer “não”

Como resistir àquele convite da sua mãe para almoçar na casa dela no domingo e passar a tarde sem fazer nada ou ainda aos amigos ligando para aquele happy hour na quinta-feira à noite?

Tenha em mente que você é o único responsável pelo seu sucesso, ou seja, ninguém mais pode estudar no seu lugar. Sendo assim, aprenda a dizer “não”. Explique que você precisa se dedicar aos estudos e que, quando estiver mais livre, certamente aceitará o convite de quem quer que seja.

Crie hábitos

Quando você internaliza um determinado processo, ele se torna um hábito, isto é, automático. Se você se educar a chegar em casa todos os dias depois do trabalho, tomar um banho, jantar e depois sentar para estudar, em pouco tempo seu organismo estará acostumado a essa rotina, facilitando tanto o aprendizado quanto a gestão do seu tempo.

Confira o e-mail apenas uma vez por dia

Tanto no trabalho quanto em casa temos a mania de deixar o e-mail aberto e olhá-lo sempre que uma nova mensagem surge na caixa de entrada. Esses poucos segundos em que você faz isso podem comprometer o seu plano de estudos, gastando tempo desnecessariamente.

Enquanto estiver estudando, desative as notificações do e-mail, feche a aba do seu navegador, use aplicativos que bloqueiam a entrada de mensagens durante certo tempo. Isso ajudará tanto na gestão do tempo quanto na sua concentração.

Aprenda a fechar os olhos

Você precisa estudar, mas tem aquela louça do almoço na pia, mas tem aquele telefonema que você não deu, mas tem aquele relatório que o seu chefe pediu. Sempre haverá motivos para você não estudar se você não souber “fechar os olhos” para algumas coisas.

Se a louça está lá desde a hora do almoço, não são algumas horas a mais que farão diferença. Se o seu chefe pediu o relatório, é para que você o faça durante o expediente, não fora da empresa. Se você demorou para telefonar, demore um pouco mais.

Tenha um ambiente para estudar

Além de ter horários definidos para estudar, o ideal é que você tenha um ambiente próprio para isso. Estudar na sala, junto com familiares conversando, ou no quarto, onde a cama está sempre te convidando para uma soneca, pode ser bastante contraproducente. As distrações são enormes, ainda mais quando estamos em frente ao computador, com redes sociais chamando o tempo todo, o e-mail abarrotado de informações e os vídeos pedindo para que você assista “apenas mais um”.

Para eliminar todas essas distrações, você deve aprender a organizar o seu espaço de estudos. Por isso, separamos algumas dicas:

Prefira um cômodo silencioso

Selecione um local silencioso e que não seja suscetível a interrupções de outras pessoas. Pode ser até mesmo o seu quarto, mas desde que as pessoas não fiquem entrando e saindo o tempo todo e falando enquanto você tenta se concentrar.

Tenha os móveis apropriados

Uma mesa, uma cadeira confortável, uma estante para deixar os seus livros, um porta-canetas, um local adequado para o seu computador, caixas de som, tudo isso influencia na organização do seu ambiente de estudos e pode facilitar a sua aprendizagem. Deixe tudo o que precisa ao seu alcance, sem precisar tirar e colocar nada todos os dias. Faça com que sua única obrigação seja ligar o computador, sentar e estudar.

Desligue o celular

Em 2015, o número de acessos à internet por meio do celular superou os acessos realizados por desktop. Isso representa uma grande mudança no comportamento das pessoas, especialmente porque nos comunicamos frequentemente por mensagens de texto. E se o seu celular não para de apitar com mensagens de WhatsApp, Facebook Messenger e outros aplicativos, dê adeus à concentração.

Para não ter seus estudos prejudicados por aquele vídeo engraçado que pode ser visto em outro momento ou pelas intermináveis conversas de família sobre o churrasco de domingo, desligue o celular. Duas horas off-line não vão prejudicar a sua vida social e você ainda terá atingido seus objetivos de estudos.

Capriche na iluminação

A iluminação do ambiente de estudos influencia no seu rendimento, já que quanto menos luz disponível você tem, mais seu corpo tem que trabalhar para se manter concentrado. Sendo assim, capriche na iluminação do seu ambiente de estudos, colocando lâmpadas frias que não agridem tanto os olhos.

Deixe o ar entrar

Tudo bem que você queira isolamento e silêncio, mas nada de se fechar em uma sala sem janelas ou nenhum tipo de entrada de ar. O ar fresco também é fundamental para oxigenar o cérebro e mantê-lo em estado de alerta. Se você passa muito tempo em um ambiente fechado, a tendência é de que você comece a ter sono e perca a atenção no que está fazendo.

Evite estudar deitado

A cama parece um ótimo lugar para estudar. Você deita, lê um livro, assiste às aulas na tela do notebook ou no tablet, tudo perfeito. Entretanto, existem algumas implicações: sua postura é inadequada, forçando pescoço, coluna e olhos; seu corpo relaxa e você começa a sentir sono; os braços cansam rapidamente e você acaba perdendo a concentração pelas dores musculares.

Encontre a maneira certa para estudar

Cada pessoa aprende de uma forma. Algumas aprendem melhor ouvindo; outras, escrevendo outras, apenas lendo. Identificar qual é o método de estudo mais proveitoso para você vai ajudar a organizar melhor o seu ambiente de estudos e também a tirar melhor proveito das aulas.

A vantagem do EAD é que você pode ver as aulas quantas vezes for necessário, pode pausar a fala do professor enquanto faz suas anotações e pode enviar suas dúvidas para o tutor, que as responderá por escrito, ou seja, você terá tudo registrado.

Aprenda como se concentrar nos estudos

Concentração é fundamental para que você se aprofunde nos estudos e compreenda os conteúdos em sua totalidade. Mas como sabemos, as distrações estão por aí e, muitas vezes, até mesmo um carro freando na rua da sua casa pode ser motivo para levar embora toda a sua concentração.

Existem técnicas e estratégias que favorecem a sua concentração e evitam que você se distraia por qualquer coisa. Por isso vamos também te dar algumas dicas de como se concentrar nos estudos para melhorar ainda mais o seu desempenho e aprendizagem:

Controle a respiração

A correria do dia a dia nos deixa afoitos para fazer tudo com pressa, aumentando a ansiedade e a falta de concentração. Mas é possível controlar isso com um exercício simples de respiração. Antes de partir para a leitura ou para ver a aula on-line, feche os olhos e respire fundo, soltando o ar devagar. Procure eliminar qualquer pensamento da sua mente, abrindo espaço para que o seu corpo relaxe e se prepare para os estudos.

Mentalize seu objetivo do dia

Retome seu objetivo do dia, mentalizando o que precisa ser feito. Assistir à videoaula, realizar exercícios, fazer um trabalho ou terminar uma leitura. Programe seu cérebro para que ele saiba o que deve fazer e qual o tempo necessário para isso.

Alongue-se

Passamos o dia todo andando de um lado para outro — ou pior: sentados em frente ao computador —, o que deixa os músculos tensos. Antes de iniciar seus estudos, faça alguns alongamentos, especialmente pernas, braços, coluna e pescoço. Além de tirar a tensão, você estimulará o fluxo sanguíneo, deixando o corpo mais desperto.

Faça pausas

Quando você estuda por muito tempo, chega um momento em que seu cérebro tem dificuldades de assimilar o conteúdo. Muitas vezes, isso faz com que você deixe de estudar e perca o prazo para o atingimento dos seus objetivos. Mas não precisa ser assim.

Quando sentir que o estudo não está rendendo, faça uma pausa de 15 minutos. Caminhe pela rua, tome um café, distraia-se. O ideal é não estar preso a informações, como navegar na internet ou ver as notícias do jornal. Deixe que sua mente vagueie por coisas que nada têm a ver com seus estudos. Depois, volte e retome o que estava fazendo.

Durma bem

Estar descansado é fundamental para que você se mantenha atento e concentrado nas coisas que faz. Se você dorme pouco, levanta cedo, deixa os filhos na escola, vai para o trabalho, pega as crianças, faz o jantar, resolve as questões da casa e ainda vai estudar, não há como manter a concentração, pois seu corpo está cansado. É por isso que ter uma boa noite de sono é imprescindível para quem busca uma forma de se concentrar nos estudos.

Pratique exercícios

Mais uma atividade para colocar na agenda? Sim! Exercícios são vitais para manter a saúde e a disposição, pois liberam hormônios que favorecem a concentração e o bem-estar. Você não precisa passar 5 horas na academia. Uma caminhada pela manhã ou no final da tarde ou a prática regular de algum esporte já são suficientes para contribuir para que os seus estudos a distância fluam ainda melhor.

Cuide da alimentação

Quem nunca sentiu aquela sensação de peso no estômago e sono depois de uma refeição farta? Isso acontece porque, quando estamos realizando a digestão, há uma maior concentração de sangue na região do estômago, o que deixa o cérebro sem a irrigação adequada.

Para manter uma rotina de estudos tranquila e favorecer a sua concentração, mantenha uma alimentação leve, rica em fibras, proteínas e gorduras saudáveis. Evite comer muito carboidrato antes de estudar, pois eles são os maiores responsáveis por essa sensação de estômago pesado.

Para se organizar nos estudos a distância, dedique um dia para fazer o seu planejamento. Defina o seu plano de estudos, monte o seu ambiente para estudar, faça seu cronograma para melhorar a gestão do tempo e liste as técnicas que utilizará para se concentrar. A partir do dia seguinte, coloque seu plano em ação, sem esquecer de acompanhar seu progresso. Cada objetivo atingido será um motivo para comemorar, assim como um incentivo a mais para que você não desista da sua carreira e do seu aprendizado.

Fonte: Una Virtual