Categoria - Autodesenvolvimento

O que os erros do PSG ensinam sobre gestão de equipes

Guerra de egos envolvendo Neymar no Paris Saint-Germain (PSG) poderia ter sido evitada se boas práticas de liderança tivessem sido seguidas

 

A discussão em campo entre Neymar e Cavani na hora de bater um pênalti, transmitida aos quatro cantos do mundo, só tornou público o que já era evidente no vestiário muito antes de o Paris Saint-Germain (PSG) encarar a equipe do Lyon, naquele fatídico domingo, 17 de setembro.

Segundo reportagem do jornal El País, a chegada de Neymar à equipe em agosto minou o clima entre os jogadores e deu início à guerra de egos no time de futebol do magnata do Catar, o empresário Nasser Al-Khelaifi. O estranhamento em campo é só a ponta de um iceberg que “gelou” a relação entre companheiros de equipe.

Na opinião do sócio-diretor da empresa de treinamentos corporativos Ynner, Yuri Trafane, o responsável pela “torta de climão servida ao time” é a liderança do PSG, que pode ser personificada pelo bilionário dono do time já que Al-Khelaifi foi o grande articulador da chegada da estrela brasileira à equipe.

O dono do PSG não economizou esforços e nem euros para tirar Neymar do Barcelona, mas cometeu um erro crasso de liderança: não fez um planejamento antes de contratar um grande craque. Esse equívoco, aliás, pode ser uma lição valiosa para líderes de dentro e fora do mundo da bola.

“Deveria ter sido feito um plano de aterrissagem do Neymar na cultura do PSG. Parece que esse plano não existiu o que é muito amador. E se o plano existiu foi de uma incompetência enorme”, diz.

Para além de seduzir o jogador brasileiro com uma fortuna e a oportunidade de ser o “ Rei Sol” da equipe de futebol da Cidade Luz, Al-Khelaifi deveria ter garantido, de fato, o compromisso de Neymar com a manutenção do bom clima dentro e fora de campo.

“Era dizer ao Neymar: ‘você é estrela, queremos trazer você mas precisamos da sua ajuda, precisamos que mostre integração e respeito. Vamos pagar essa fortuna, mas você tem que assumir o compromisso de fazer parte do time’”, indica Trafane.

Dessa forma, poderia se tentar garantir que Neymar tomasse para si a tarefa de não só conquistar a torcida com seus dribles e jogadas geniais, mas também a sua legitimidade perante toda a equipe de jogadores PSG, atuando de forma mais humilde e voltada para a harmonia do grupo.

O aprendizado vale para o mundo do trabalho em geral: independentemente de currículo, cargo e feitos de carreira, o poder de influência e liderança não são aspectos dados a ninguém, e, sim, conquistados. E essa disposição para encontrar o seu lugar na equipe deveria ter sido avaliada em Neymar antes mesmo da assinatura do contrato, segundo Trafane.

Caso o craque não se mostrasse afeito a esse trabalho em equipe, a contratação deveria até ser repensada, segundo Trafane. “Por que o empresário trouxe o Neymar? Foi para levar o título europeu. Desse jeito vai ser difícil. Uma pessoa só não leva”, diz.

Como focos de resistência ao craque poderiam ser vencidos?

Além de conversar com Neymar, a liderança do PSG também teria que ter previsto e mitigado os riscos do impacto da chegada do craque na autoestima restante do elenco.

Uma reunião geral com o time antes de uma contratação desse calibre resolveria? Não, diz Trafane. “Um líder amador poderia ter cometido o erro que seria chamar todo o elenco para uma reunião porque a reação em público é muito diferente da reação individual”, diz.

Consultar apenas os profissionais com maior poder de influência na equipe sobre a validade ou não de trazer um novo e estrelado membro para o time teria sido o mais acertado a se fazer, segundo Trafane.

“Num time sabe-se quem são os líderes. Esses caras deveriam ter sido chamados para conversar”, diz. Se os formadores de opinião do grupo, como Cavani que é veterano no time, tivessem “comprado a ideia” de ter Neymar na equipe os focos de resistência seriam mais facilmente vencidos, segundo o especialista.

Magnata achou que dinheiro resolveria conflito

Ao contrário do que pregam as cartilhas de liderança, Al-Khelaifi achou que podia vencer qualquer obstáculo colocando a mão no seu bolso bilionário.

Numa sucessão de trapalhadas segundo a imprensa internacional, o magnata que já havia até ameaçado vender jogadores depois de gastar 222 milhões de euros com Neymar, ainda tentou oferecer dinheiro a Cavani para colocar panos quentes na disputa, segundo a reportagem.

Obviamente não deu certo. “Demonstra que ele não tem compreensão do funcionamento do ser humano. Isso piorou tudo”, diz.
Não é preciso ter feito um MBA para saber que dinheiro muito provavelmente não é o principal motivador de carreira para um jogador já tão bem remunerado como Cavani.

Reputação de Neymar sai prejudicada dessa história?

Não há dúvida de que a situação é ruim para o craque brasileiro. Ao deixar a autoconfiança jogar contra ele, Neymar isolou-se e isso pode comprometer sua acertada decisão de carreira de deixar o Barcelona pelo PSG.

“Deve estar sofrendo uma pressão imensa, perdendo vontade de jogar já que a sua energia agora está voltada para o conflito”, diz Trafane.

Alegando lesão no pé, o jogador já ficou de fora de uma partida e especula-se que os problemas com a equipe estejam por trás do “atestado médico” para não trabalhar.

Da aparente desmotivação do jogador é possível tirar mais uma lição universal de carreira, segundo Trafane: o perigo desajuste de expectativas.

“Já  vi muita empresa florear o ambiente de trabalho na hora de trazer um profissional e esconder os problemas”, diz. Esperando chegar como grande estrela já legitimada pelos colegas, é provável, como dizem os jornais, que Neymar não esperasse ser guerreado pelos veteranos. E, segundo Trafane, problemas de relacionamento embora sejam passíveis de solução, sempre deixam marcas aparentes em todos os envolvidos.

Fonte: Exame

Veja mais sobre esse tema AQUI.

Como colocar sonhos em prática

Autor do livro Ouse ser Grande dá dicas para controlar os seus pensamentos e emoções para alcançar a vida dos seus sonhos

Não houve vida fácil para Maurício Souto. De origem humilde, ele conta que precisou de muito esforço e dedicação para conseguir concluir os estudos. E assim tornou-se cirurgião-dentista, especialista e mestre em Ortodontia e Ortopedia Facial. Em paralelo, ao longo de aproximadamente duas décadas, leu muito sobre os poderes da mente e do pensamento positivo. Transformou a teoria em vivência e, com os resultados obtidos, resolveu retribuir, escrevendo um livro para também ajudar outras pessoas a realizarem os seus sonhos.

Hoje além de ortodontista, Maurício Souto é também escritor e palestrante. Ele se considera realizado e reforça a importância da determinação, da motivação, do foco e da autoconfiança para alcançar as metas. Você já determinou seus objetivos de vida? Leia abaixo a entrevista de Raul Candeloro com Mauricio Souto e confira dicas de como colocar em prática os seus objetivos.

Fale um pouquinho mais sobre Ouse Ser Grande. Sobre o que trata o livro?

O livro Ouse ser Grande trata da realização pessoal e profissional, realização de sonhos e de superação. A minha trajetória é uma história de superação. Durante uma fase da minha vida, também senti dificuldades. Sentia-me angustiado, frustrado, porque me esforçava e os resultados não apareciam na mesma proporção. Foi então que decidi estudar e descobrir o porquê aquilo estava acontecendo comigo e o porquê existia – e existe – tanto contraste no mundo.

Após anos de pesquisas, verifiquei que a causa dessa dificuldade é interna. Ou seja, resulta da falta de entendimento dos poderes da mente, dos poderes do subconsciente, da manutenção de padrões mentais e emoções negativas, além de crenças limitantes que mantemos ao longo da vida.

No início, a intenção era escrever um manual de dicas para meus filhos sobre como se dar bem na vida, o que fazer para alcançar sucesso e riqueza, seguindo um padrão (método), baseado no que eu aprendi e coloquei em prática para me tornar um profissional de sucesso. Sou formado em Odontologia, especialista e mestre em Ortodontia e Ortopedia Facial. Entretanto, a ideia foi tomando forma, crescendo, e foi então que resolvi transformar aquelas anotações, feitas durante anos, em livro. Surgiu como uma missão de vida, com o objetivo de ajudar outras pessoas a também realizarem sonhos e alcançarem os seus objetivos.

Esse tema se tornou muito importante nos dias de hoje, tendo em vista que o mundo vive uma crise existencial muito grande. Principalmente aqui no Brasil, onde as pessoas e empresas estão insatisfeitas com os resultados que estão obtendo e se sentindo incapacitadas de realizar os seus sonhos.

Assim, o objetivo do livro é ajudar as pessoas a mudarem a forma de pensar, a controlarem emoções e tomarem decisões para que possam ter a vida dos seus sonhos. No livro, eu mostro por meio de exemplos práticos e exercícios simples como proceder para mudar esses padrões mentais negativos. Explico como adotar hábitos positivos, bem como eliminar as crenças limitadoras e controlar emoções, com o intuito de tornarem-se pessoas bem-sucedidas, conquistarem riquezas (de toda ordem) e obterem sucesso.

Você poderia nos dar um exemplo prático extraído o livro que exemplifique melhor seus principais conceitos?

Claro. Gosto muito de citar um trecho do capítulo 2: “Ao analisar a vida de muitas pessoas bem-sucedidas, como alguns milionários, verificamos que a grande maioria nasceu num ambiente de muita humildade, de muito sacrifício. Histórias nesse sentido não faltam. John Rockefeller, Andrew Carnegie, Thomas Edison, Silvio Santos, Caito Maia e tantos outros empresários que conhecemos tiveram uma infância de muitas dificuldades. Podemos ainda citar a vida de muitos artistas, jogadores de futebol, esportistas, lutadores de boxe e MMA (Artes Marciais Mistas), que viveram num ambiente de muita penúria e conquistaram fama e fortuna.

O que os diferenciou? A mais fantástica fábrica de sonhos e realizações: a mente humana. Souberam usar o combustível mais inflamável que existe: a imaginação. Visualizaram um objetivo e não cessaram de persegui-lo até conseguirem alcançá-lo, não importando as dificuldades pelas quais tiveram que passar. Isso diferencia homens de sucesso de homens fracassados. Vislumbraram objetivos, que para muitos eram impossíveis de serem alcançados, arregaçaram as mangas e fizeram pedidos insistentes e consistentes com muita fé até atingi-los.” (p.25-26)

Quais são os erros mais comuns que você vê as empresas e as pessoas cometendo em relação a essas questões?

Vejo pelo menos três erros:

  1. Culpar os fatores externos pelo mal resultado que você ou sua empresa vem tendo. O exterior é reflexo do interior.
  2. Dar foco aos acontecimentos negativos. Vejo muitos líderes enfraquecendo suas equipes, esbravejando em alto e bom tom os resultados negativos, depreciando desta forma sua equipe e deixando o ambiente ainda mais tenso. E quando acontece algo bom, batem suas metas ou superam as expectativas, nada acontece, nenhum ruído de felicidade. Corrija os erros isoladamente, festeje os bons resultados em equipe.
  3. Não investir em treinamentos de equipe. Na maioria das vezes, os líderes não sabem o que acontece na intimidade das pessoas que pertencem à sua equipe, nem sequer suas dificuldades de desenvolvimento profissional e pessoal. E isso pode ser facilmente solucionado com um bom treinamento, de acordo com a área mais afetada. Caso a equipe esteja desmotivada, contrate um palestrante motivacional. Se a equipe está com problemas no fechamento da venda, contrate um profissional que tenham técnicas inovadoras para essa área. Só não passe batido pelos problemas que estão adiando o crescimento de sua empresa. Tome decisões rápidas.

Dessa lista de erros, qual você considera o mais grave? Por quê?

O mais grave é colocar a culpa de suas dificuldades em causas externas. Culpar a Deus, o governo, o prefeito, a esposa, o esposo, o lugar onde mora, quando na verdade a causa é interna. Como disse acima, o exterior é reflexo do interior. Assim como é por dentro, é por fora. Então, para que ocorram mudanças no ambiente (com resultados mais positivos), você deve mudar internamente.

Um empresário ou vendedor que está procurando melhorar seus resultados nessa área deve começar por onde? Quais as principais recomendações?

O desenvolvimento pessoal representa o melhor caminho para se atingir o sucesso. Infelizmente, empresas investem em sofisticados sistemas de operação, melhoria dos equipamentos, estruturação física, layout inovador, mas esquecem de que o maior patrimônio são seus colaboradores. Eles são os geradores de riqueza. Precisam estar numa situação de bem-estar, sentir-se felizes, sentir que fazem parte de um sistema ganha/ganha, onde se a empresa ganhar, ele ganha também. Por outro lado, para ele ganhar, a empresa e os clientes também devem ganhar. Essa compreensão gera comprometimento. E a falta de comprometimento de seus colaboradores é a queixa principal dos empresários aqui no Brasil.

Falando um pouco do seu trabalho como consultor e palestrante agora: que tipo de empresa geralmente contrata seus serviços? O que busca?

Normalmente sou contratado por empresas e entidades que visam aumentar o nível de comprometimento e entusiasmo de seus gestores e colaboradores. Organizações que verificaram um baixo nível de energia e engajamento afetando os resultados da empresa ou que querem potencializar ainda mais o nível de colaboração.

O meu trabalho é justamente o de auxiliar na transformação das pessoas. Possibilitar o entendimento de que tudo passa pela forma de pensar, pelo controle das emoções e tomada de decisões. Por exemplo, você pode escolher que tipo de trabalho vai executar. Ele poderá ser bem ou mal feito. Você pode decidir como vai atender um cliente, com um sorriso nos lábios ou sisudo, mal humorado (porque algo desagradável aconteceu no dia anterior ou porque alguém cortou a sua frente no sinal, enquanto estava se deslocando para o trabalho). Infelizmente, empresas estão quebrando por falta de comprometimento dos seus colaboradores.

Então, o meu trabalho entra justamente em destacar a importância da definição do que se quer como pessoa e como empresa; onde está e aonde quer chegar; o que funciona e o que não funciona de todas suas ações. Enfim, trabalhar o autoconhecimento. Quem tem essa clareza, mantém o foco e estipula metas claras e realistas para alcançar os seus objetivos. E, ao escrever essas metas, aumenta o comprometimento, ocasionando como consequência mais entusiasmo e responsabilidade.

Podemos dizer que estas empresas buscam a elevação do nível de comprometimento dos seus colaboradores, englobando a transformação das pessoas, incluindo nelas a mentalidade de serem parte do sistema e que, de acordo com o seu grau de envolvimento, serão os resultados gerados.

Por outro lado, que tipo de evento/treinamento/consultoria não é adequado para você? Ou seja, que tipo de problemas/situações/treinamentos você geralmente prefere não aceitar ou indicar para algum colega?

Não tenho condições de desenvolver meu trabalho adequadamente com pessoas que não querem ter sucesso, que não querem mudar. Quando digo sucesso, falo sucesso em todos os níveis da vida. Fora isso, acredito que todas as condições poderão ser trabalhadas.

Outro ponto é: eu trabalho com pessoas, auxiliando no seu desenvolvimento pessoal. Ou seja, a minha atuação vem antes da técnica em si, porque ajudo na mudança de padrões mentais (desenvolvimento pessoal). A pessoa estando bem se sentirá entusiasmada a aprender algo novo. Trabalho a autoconfiança, o preparo mental. Procuro desenvolver os pontos fortes, a fim de que obtenha alta performance. Oriento como fazer a blindagem da negatividade. Mais uma vez enfatizo: quem gera a riqueza são as pessoas. Por isso, precisam estar motivadas, entusiasmadas e autoconfiantes. A empresa não pode depender apenas da qualidade do seu produto. Deve-se considerar que as pessoas estão constantemente envolvidas no processo. Passada essa fase de aprendizado, podemos dar um passo adiante e normalmente indico colegas para técnicas de vendas, gráficos, etc.

Qual o seu diferencial em relação a outros consultores? Qual a sua “marca registrada”?

Meu diferencial é o método que eu mesmo criei, o Método MS de Reprogramação Mental. Se seguido adequadamente, resulta numa intensa transformação pessoal. Ajudo pessoas medianas a se transformarem em pessoas de alta performance. Auxilio na percepção de que é necessário mudar estados mentais para atingir resultados melhores e mais eficazes (excelência).

Com tanta experiência na área, quais dicas ou informações você vê sendo dadas pela mídia sobre esse assunto com as quais claramente não concorda?

Hoje em dia há uma gama muito grande de “venda de conhecimento”, afirmando verdadeiros milagres para atingir o sucesso. Isso não é verdade, pois sabemos que o verdadeiro sucesso vai ocorrendo aos poucos, com muito trabalho, dedicação, determinação, não havendo milagre nem sorte envolvidos. Muitos fazem cursos (técnicos) um atrás do outro, sem haver uma assimilação do conteúdo. E é preciso colocar em prática o conhecimento adquirido, porque como diz Bernard Shaw: “Se ensinardes alguma coisa a um homem, ele nunca aprenderá”. O aprender é um processo ativo, somente aprendemos fazendo. Entretanto, como as pessoas estão inseguras, acham que empilhar certificados vai resolver o problema. O diferencial é a forma como você faz. Por isso, torne-se um especialista. Faça melhor! E invista na sua autoconfiança.

Algum último comentário que queira fazer?

Tente descobrir o que lhe deixa feliz. Você pode até trabalhar em algo que não gosta (por necessidade e por algum tempo), mas mantenha na sua mente (pense nisso todos os dias) o que você realmente quer para a sua vida. Acredite, um dia você estará realmente fazendo o que gosta! Mas para isso acontecer, você precisa ter clara essa “visão de futuro”. Ela tem que estar impregnada no seu subconsciente. Seja feliz fazendo o que você faz, em vez de fazer algo pensando que isso lhe trará felicidade. Tenha um profundo sentimento de gratidão por tudo o que já conseguiu. Esse sentimento produzirá uma sensação de bem-estar e felicidade, gerando como consequência mais felicidade. E pessoas felizes são mais criativas, motivadas, energizadas e produtivas no trabalho.

 

Fonte: Venda Mais

Saiba mais sobre este assunto AQUI.

Dez erros de postura e comportamento que podem prejudicá-lo no trabalho

A imagem transmitida pelo profissional faz muita diferença. E, por isso, é importante estarmos atentos às nossas atitudes no ambiente de trabalho

A afirmação não deve ser novidade para ninguém, mesmo assim, não são poucos os que ainda cometem sérios erros comportamentais no ambiente corporativo e acabam esquecendo que a competência técnica não é a única necessária para galgar novas posições numa empresa.

A imagem transmitida pelo profissional faz muita diferença. É por isso mesmo que ficar de olho nas atitudes e na maneira como se porta no ambiente de trabalho pode render pontos positivos.

Para saber o que “pega mal” no trabalho, conversamos com o coach Silvio Celestino, que enumerou os 10 principais erros comportamentais e de postura cometidos por profissionais nas empresas.


1- Não saber dominar as emoções:

Um profissional que não sabe receber uma crítica, um feedback e se frustra com muita freqüência, demonstra-se imaturo e, portanto, incapaz de assumir grandes responsabilidades, inclusive um cargo de liderança. Se alguém deseja subir na carreira, deve saber dominar suas emoções e lidar com as dos demais.

2- Falar mal da empresa, de chefes ou colegas no ambiente de trabalho / redes sociais:
O profissional vende a todo instante a sua credibilidade perante a empresa e o mercado de trabalho. Ninguém deseja ter em seu quadro de funcionários alguém que denigre a imagem da própria empresa direta ou indiretamente (comentando e fazendo fofocas de outras pessoas).

3- Não cumprir prazos das tarefas:

O que se espera de um bom profissional é que ele tenha conhecimento suficiente para saber quanto tempo uma tarefa de sua responsabilidade demora para ser realizada apropriadamente. Quando o profissional atrasa, compromete sua credibilidade.

4- Chegar atrasado em reuniões e eventos:

Cumprir horários estabelecidos para uma reunião ou evento é o mínimo que se espera de um profissional sério. Mesmo que seus líderes cultivem o mau exemplo de chegar tarde em reuniões, não faça o mesmo. Seja pontual.

5- Ter uma imagem que destoa da cultura da empresa:

A imagem de um profissional deve transmitir credibilidade de acordo com a cultura da empresa. Não apareça de piercing ou deixe sua nova tatuagem à mostra se você trabalha a uma organização muito tradicional. Terno e gravata também não são indicados para trabalhar em uma empresa que vende produtos para a prática de esportes radicais. Pense!

6- Escrever errado em documentos da empresa, especialmente os que são dirigidos a clientes (e-mails, por exemplo):

Já vi um gerente ser demitido porque escreveu “voceiz” em um e-mail ao consumidor. Muita atenção, o que é aceitável no SMS é inapropriado para o contato com o mercado e pode gerar má interpretação, confusão e transmitir uma imagem desleixada do profissional e, consequentemente, da empresa.

7- Ser um mau ouvinte:

Quando um cliente interno ou externo ao departamento se dirige ao profissional e este parece estar mais interessado em outras coisas, como seu celular, ou simplesmente não parece estar interessado na conversa, gera a impressão de imaturidade e desrespeito.

8- Tratar com descuido as ferramentas e materiais sob sua responsabilidade:

Danificar computadores, mobília ou outras estruturas da empresa por descuido demonstra que o profissional não entende que a empresa possui um custo esperado para suas operações e que aumentá-lo diminui o resultado.

9- Desrespeitar a cultura da empresa:

Cada organização possui uma cultura, expressa objetivamente em suas normas, mas também indiretamente no comportamento de seus funcionários, em especial seus líderes. O profissional deve ter adaptabilidade ao ambiente antes de querer mudar algo. Chegar na organização e já questionar sua forma de ser é ruim para a sua imagem.

10- Não demonstrar interesse em progredir:

As organizações têm como um de seus propósitos o crescimento contínuo. Um indivíduo que está satisfeito com o cargo que ocupa e não faz nada para aprimorar-se, adquirir novos conhecimentos e competências, fica em desacordo com este propósito, o que não é bom para sua imagem.

Muitas dessas atitudes passam completamente despercebidas no dia a dia. A correria e a falta de atenção fazem com que profissionais sejam avaliados negativamente — o que, em muitos casos, só gera problemas depois de algum tempo repetindo os mesmos erros.

Por isso, esteja sempre atento às suas ações, não deixe que as funções e a sobrecarga façam de você um profissional relapso, desatencioso com suas responsabilidades e atitudes no ambiente corporativo.

Fonte: Administradores.com.br

Os erros de português mais comuns no trabalho

Não deixe mais passar esses deslizes em seu cotidiano!

Erros de português comprometem a sua imagem profissional. Afinal, a comunicação é uma das competências mais valorizadas no ambiente de trabalho.

A habilidade é exigida, inclusive, desde o início dos processos seletivos. Mesmo o seu currículo e a forma como você fala na entrevista de emprego podem ser determinantes para a sua seleção.

Não por menos: um estudo feito pelo Project Management Institute Brasil (PMI), envolvendo 300 empresas nacionais e multinacionais, apontou que 76% dos projetos não dão certo porque os funcionários não sabem escrever nem falar bem.

Será que você está praticando algum deslize ao fazer uma apresentação ou escrever um relatório importante?

Veja abaixo os 15 erros de português mais cometidos no mundo corporativo (e como corrigi-los):

1: Mais informações x Maiores informações

O correto é: mais informações. A palavra “maior” deve ser usada para fazer comparações, como entre medidas.

2: Onde x Em que

Quando falar de lugar, use o “onde” – ele é um advérbio de lugar. Se quer substituir a expressão “na qual”, use “em que”.

3: Impresso x Imprimido

Depende da frase. Quando o verbo imprimir estiver acompanhado dos verbos ter e haver, use imprimido. Já para os verbos ser e estar, use impresso.

Ex: Os documentos devem ser impressos naquela máquina.”

4: Anexo x Anexa

Quando adjetivo, ou seja, o arquivo está anexo a alguma coisa, deve concordar com o substantivo.

Ex: As planilhas estão anexas ao relatório.”

Quando substantivo, ou seja, quando você quer dizer onde está alguma coisa, a palavra é invariável e você deve escrever “em anexo”.

Ex: As planilhas estão em anexo no e-mail.”

5: A prazo x À prazo

A crase só funciona antes de palavras femininas. Como prazo é uma palavra masculina, não há crase. O mesmo acontece nas expressões “a bordo”, “a pé”.

6: Responder ao x Responder a

Para responder um e-mail, você deve responder a + alguém. Essa junção entre os dois “as” requer crase quando a palavra é feminina.

Quando a palavra é masculina e existe essa junção de dois “as”, diga ou escreva “ao”.

7: Cessão x Seção x Sessão

Cessão é o mesmo que ceder. Quando se referir a seção de departamento, use o “ç”. Se você vai assistir a uma reunião, use sessão – que é a mesma “sessão” quando você assiste a um filme ou espetáculo.

8: Mas x Mais

Um dos principais erros da língua portuguesa. Use “mas” quando quiser contrariar o que já foi dito. Como se trata de uma conjunção adversativa, tem a mesma função do “porém”.

“Mais” é um advérbio de intensidade, portanto, use-o da mesma forma que usa “menos”.

9: Em mão x Em mãos

Nesse caso, as duas formas estão corretas. Antes, apenas a expressão “em mão” era aceita. Atualmente, vários dicionários da língua portuguesa também aceitam “em mãos”, que é mais utilizada na fala.

10: Segmento x Seguimento

As palavras tem sentidos diferentes. Quando se referir a seção, parte de algo, use “segmento”. A palavra “seguimento” está relacionada ao ato de seguir.

11: Ao meu ver x A meu ver

Outro caso em que as duas formas estão corretas. Como outras expressões que usam o artigo de modo facultativo antes de pronomes possessivos, a expressão “ao meu ver” não é vista como incorreta.

12: Em vez de x Ao invés de

Depende do que você se refere. Se estiver se referindo a substituição de algo, use “em vez de”.

Ex: Em vez de ir ao trabalho de carro, fui de ônibus.”

A expressão “ao invés de” deve ser usada quando você se referir a oposição de algo. É o mesmo que a expressão “ao contrário de”

Ex: Ao invés de falar ao telefone, envie-lhe um e-mail.”

Perceba que a expressão “em vez de” pode ser usada em frases cuja ideia também é a de oposição. Mas o contrário não acontece. “Ao invés de” sempre será uma expressão que significa o inverso de algo.

13: Por ora x Por hora

Se estiver se referindo a hora = tempo, use o “h”. No entanto, se deseja substituir o sentido de “por enquanto”, use “por ora”.

Ex: Não faz sentido mudarmos de estratégia por ora.”

14: É suficiente x São suficientes

Sempre use a expressão no singular: “é suficiente”. O verbo ser é invariável para indicar preços, medidas, pesos ou qualquer quantidade.

Ex: Vinte reais é suficiente para almoçar naquele restaurante.”

15: Meio-dia e meia x Meio-dia e meio

Como está se referindo a meio-dia + meia hora (trinta minutos), use “meia”.

Fonte: Empregos.com.br

Ensino à distância exige disciplina e organização

Confira dicas que vão te ajudar a ter um desempenho ainda melhor durante o aprendizado online

O ensino a distância (EAD) vem se fortalecendo nos últimos anos devido a características próprias, como flexibilidade para estudar de qualquer lugar do mundo, investimento atrativo quando comparado aos cursos presenciais e autonomia do aluno no direcionamento do seu aprendizado.

Esse movimento se deve principalmente à quantidade de responsabilidades que os estudantes assumem na vida adulta, como família, trabalho e atividades sociais, que demandam uma maneira mais eficiente de gerir o tempo e dar conta de todos os aspectos pessoais e profissionais. Entretanto, uma barreira que ainda faz com que muitas pessoas deixem de se qualificar e avançar nos estudos é a dificuldade em organizar os estudos a distância.

No EAD, você é dono do seu tempo e o organiza conforme suas necessidades, mas para que tenha êxito, você precisa estar comprometido com os seus objetivos e não abandonar os estudos na primeira dificuldade que surgir.

Neste guia, vamos te ensinar a permanecer firme em seu propósito de avançar na sua carreira, dando dicas de como estabelecer uma rotina de estudos que favoreça o seu aprendizado.

Pronto para alavancar os seus estudos? Então, vamos lá!

Elabore um plano de estudos

Como em tudo na vida, estudar requer planejamento. Planejar é definir um roteiro, um caminho para atingir seus objetivos de estudo. Se você está começando uma graduação a distância, por exemplo, seus objetivos de curto prazo são concluir as disciplinas com aproveitamento máximo e o objetivo global é terminar o curso e ser aprovado.

No EAD, assim como no ensino presencial, você tem módulos que devem ser desenvolvidos ao longo de um determinado período de tempo. O plano de estudos consiste em organizar o seu tempo de modo que você consiga concluir os módulos dentro do tempo previsto, realizando as atividades propostas, recebendo feedback do tutor e podendo rever seu desempenho com tranquilidade.

Por que elaborar um plano de estudos

Muitas pessoas acham que estudar a distância é fácil, basta sentar em frente ao computador e deixar a aula “rodando” enquanto faz outras coisas. Isso é um engano, já que seu aprendizado é colocado à prova a todo momento, nos fóruns, chats e atividades propostas pelo tutor. Elaborar um plano de estudos vai permitir que você não se distraia dos seus objetivos, e ainda:

Mantenha o foco no que é mais importante

O plano de estudos vai te ajudar a manter o foco nas disciplinas em que tem maior dificuldade ou que precisa se dedicar mais, como disciplinas de base para o restante do curso. Com um plano de estudos bem elaborado você pode destinar mais tempo para aqueles conteúdos mais densos e que exigem mais reflexão.

Otimize seu tempo

Se você não tem um planejamento para manter os estudos em dia, vai acabar acumulando conteúdos ao longo da semana, quem sabe até do mês. Esse atraso terá que ser recuperado em algum momento, o que pode significar deixar de fazer outras coisas importantes para você. Sendo assim, o plano de estudos vai te ajudar a organizar a sua rotina e manter a qualidade da sua aprendizagem ao longo do tempo.

Aprenda gradativamente

Você já deve ter ouvido falar que consolidamos o conhecimento aprendido ao longo do dia quando dormimos. Isso quer dizer que, se você tiver passado o final de semana inteiro estudando e colocando os conteúdos em dia, terá muita coisa a processar na hora de dormir, e os detalhes podem ser perdidos. Em contrapartida, se você estudar menos tempo durante toda a semana, terá uma carga de conteúdo adequada para memorizar, e seu cérebro trabalhará mais facilmente para consolidar o conhecimento.

Como elaborar o seu plano de estudos

Cada pessoa tem sua própria forma de estruturar um planejamento. Algumas preferem fazer isso no computador; outras, em uma agenda de papel; outras, em um quadro branco, bem à vista. Selecione a melhor forma de manter seu cérebro concentrado no que tem que fazer e:

Defina seus horários de estudo

Ter um horário fixo de estudos vai ajudar a organizar a sua rotina, por mais que na segunda-feira seja das 19h às 21h e na quinta das 10h às 12h. Marcar esse compromisso com você mesmo fará com que você se habitue a estar pronto para estudar nesses horários.

Trace seus objetivos

Se você deve cursar um módulo em um mês, quantas horas por semana deve dedicar a cada módulo?

Trace seus objetivos, como concluir duas videoaulas por dia e realizar os testes uma vez por semana. A cada objetivo atingido, comemore, dando-se um tempo de descanso para fazer outras coisas.

Registre seu progresso

No EAD, você tem maior autonomia para estudar. Não existe aquela pressão insistente de um professor cobrando que você entregue suas atividades, o que pode fazer com que você perca a noção de quanto progrediu nos seus estudos. Para se manter motivado, faça uma linha do tempo dos seus estudos, marcando a data em que deseja concluir o curso. A cada meta alcançada, faça uma marcação. Revise quanto falta para terminar e anime-se!

Seja franco consigo mesmo

O ser humano tem mania de dar desculpas para aquilo que não está fazendo bem: “estou cansado”, “amanhã eu começo”, “essa semana foi atribulada demais”.

Não se deixe levar pela procrastinação, senão você corre sérios riscos de não atingir seus objetivos. Seja franco consigo mesmo, avalie seu desempenho e seu ânimo para estudar. Se houver algo impedindo que você se dedique aos estudos, procure entender do que se trata e como resolver a situação.

Aposte em estratégias de gestão do tempo

Estudar a distância é um dos grandes trunfos de quem não tem muito tempo para ir até uma instituição de ensino. Se você parar para pensar no tempo que você leva para se deslocar de um lugar a outro nas grandes cidades, vai perceber que o EAD é realmente uma boa opção para não perder tempo com aquilo que não traz resultados para você.

Tirando o trânsito, você pode pensar em mil coisas que podem atrapalhar seus estudos: horas extras no trabalho, uma visita inesperada, aquela consulta ao médico que está marcada há tempos, a reunião na escola dos filhos, entre outras. Uma boa forma de conciliar todos os seus afazeres diários e ainda ter espaço para os estudos é fazendo uma boa gestão do tempo. Veja algumas dicas:

Estabeleça prioridades

O que é prioridade na sua vida? Aquele passeio no shopping no domingo ou concluir o seu módulo de planejamento estratégico? Muitas vezes estabelecer prioridades parece uma crueldade com nossas vidas particulares, mas você precisa ter uma visão de longo prazo e visualizar os benefícios que cada decisão tomada pode trazer.

Ao priorizar aquilo que é mais importante, você estará otimizando seu tempo para que as coisas realmente relevantes sejam feitas. Se sobrar tempo, não hesite em fazer aquilo que gostaria, afinal, ninguém é de ferro.

Trace objetivos e metas

Já falamos sobre os objetivos no capítulo anterior, mas relembramos aqui porque também é uma ótima maneira de otimizar o seu tempo. Se você tem como objetivo terminar um módulo em um mês, qual a sua meta semanal de estudos? Quantas horas deve se dedicar?

Deixe seus objetivos e metas sempre à vista para que você possa recordá-los todos os dias. Isso ajudará a manter o foco e não perder tempo com distrações.

Organize sua agenda

De papel, no computador, no celular… Não importa. Ter uma agenda com todos os seus compromissos ajuda a dimensionar a quantidade de tempo que você tem para dedicar a cada tarefa. Só não se esqueça de contabilizar o tempo de deslocamento e os intervalos para comer, afinal, sem uma alimentação adequada, sua aprendizagem fica prejudicada.

Saiba dizer “não”

Como resistir àquele convite da sua mãe para almoçar na casa dela no domingo e passar a tarde sem fazer nada ou ainda aos amigos ligando para aquele happy hour na quinta-feira à noite?

Tenha em mente que você é o único responsável pelo seu sucesso, ou seja, ninguém mais pode estudar no seu lugar. Sendo assim, aprenda a dizer “não”. Explique que você precisa se dedicar aos estudos e que, quando estiver mais livre, certamente aceitará o convite de quem quer que seja.

Crie hábitos

Quando você internaliza um determinado processo, ele se torna um hábito, isto é, automático. Se você se educar a chegar em casa todos os dias depois do trabalho, tomar um banho, jantar e depois sentar para estudar, em pouco tempo seu organismo estará acostumado a essa rotina, facilitando tanto o aprendizado quanto a gestão do seu tempo.

Confira o e-mail apenas uma vez por dia

Tanto no trabalho quanto em casa temos a mania de deixar o e-mail aberto e olhá-lo sempre que uma nova mensagem surge na caixa de entrada. Esses poucos segundos em que você faz isso podem comprometer o seu plano de estudos, gastando tempo desnecessariamente.

Enquanto estiver estudando, desative as notificações do e-mail, feche a aba do seu navegador, use aplicativos que bloqueiam a entrada de mensagens durante certo tempo. Isso ajudará tanto na gestão do tempo quanto na sua concentração.

Aprenda a fechar os olhos

Você precisa estudar, mas tem aquela louça do almoço na pia, mas tem aquele telefonema que você não deu, mas tem aquele relatório que o seu chefe pediu. Sempre haverá motivos para você não estudar se você não souber “fechar os olhos” para algumas coisas.

Se a louça está lá desde a hora do almoço, não são algumas horas a mais que farão diferença. Se o seu chefe pediu o relatório, é para que você o faça durante o expediente, não fora da empresa. Se você demorou para telefonar, demore um pouco mais.

Tenha um ambiente para estudar

Além de ter horários definidos para estudar, o ideal é que você tenha um ambiente próprio para isso. Estudar na sala, junto com familiares conversando, ou no quarto, onde a cama está sempre te convidando para uma soneca, pode ser bastante contraproducente. As distrações são enormes, ainda mais quando estamos em frente ao computador, com redes sociais chamando o tempo todo, o e-mail abarrotado de informações e os vídeos pedindo para que você assista “apenas mais um”.

Para eliminar todas essas distrações, você deve aprender a organizar o seu espaço de estudos. Por isso, separamos algumas dicas:

Prefira um cômodo silencioso

Selecione um local silencioso e que não seja suscetível a interrupções de outras pessoas. Pode ser até mesmo o seu quarto, mas desde que as pessoas não fiquem entrando e saindo o tempo todo e falando enquanto você tenta se concentrar.

Tenha os móveis apropriados

Uma mesa, uma cadeira confortável, uma estante para deixar os seus livros, um porta-canetas, um local adequado para o seu computador, caixas de som, tudo isso influencia na organização do seu ambiente de estudos e pode facilitar a sua aprendizagem. Deixe tudo o que precisa ao seu alcance, sem precisar tirar e colocar nada todos os dias. Faça com que sua única obrigação seja ligar o computador, sentar e estudar.

Desligue o celular

Em 2015, o número de acessos à internet por meio do celular superou os acessos realizados por desktop. Isso representa uma grande mudança no comportamento das pessoas, especialmente porque nos comunicamos frequentemente por mensagens de texto. E se o seu celular não para de apitar com mensagens de WhatsApp, Facebook Messenger e outros aplicativos, dê adeus à concentração.

Para não ter seus estudos prejudicados por aquele vídeo engraçado que pode ser visto em outro momento ou pelas intermináveis conversas de família sobre o churrasco de domingo, desligue o celular. Duas horas off-line não vão prejudicar a sua vida social e você ainda terá atingido seus objetivos de estudos.

Capriche na iluminação

A iluminação do ambiente de estudos influencia no seu rendimento, já que quanto menos luz disponível você tem, mais seu corpo tem que trabalhar para se manter concentrado. Sendo assim, capriche na iluminação do seu ambiente de estudos, colocando lâmpadas frias que não agridem tanto os olhos.

Deixe o ar entrar

Tudo bem que você queira isolamento e silêncio, mas nada de se fechar em uma sala sem janelas ou nenhum tipo de entrada de ar. O ar fresco também é fundamental para oxigenar o cérebro e mantê-lo em estado de alerta. Se você passa muito tempo em um ambiente fechado, a tendência é de que você comece a ter sono e perca a atenção no que está fazendo.

Evite estudar deitado

A cama parece um ótimo lugar para estudar. Você deita, lê um livro, assiste às aulas na tela do notebook ou no tablet, tudo perfeito. Entretanto, existem algumas implicações: sua postura é inadequada, forçando pescoço, coluna e olhos; seu corpo relaxa e você começa a sentir sono; os braços cansam rapidamente e você acaba perdendo a concentração pelas dores musculares.

Encontre a maneira certa para estudar

Cada pessoa aprende de uma forma. Algumas aprendem melhor ouvindo; outras, escrevendo outras, apenas lendo. Identificar qual é o método de estudo mais proveitoso para você vai ajudar a organizar melhor o seu ambiente de estudos e também a tirar melhor proveito das aulas.

A vantagem do EAD é que você pode ver as aulas quantas vezes for necessário, pode pausar a fala do professor enquanto faz suas anotações e pode enviar suas dúvidas para o tutor, que as responderá por escrito, ou seja, você terá tudo registrado.

Aprenda como se concentrar nos estudos

Concentração é fundamental para que você se aprofunde nos estudos e compreenda os conteúdos em sua totalidade. Mas como sabemos, as distrações estão por aí e, muitas vezes, até mesmo um carro freando na rua da sua casa pode ser motivo para levar embora toda a sua concentração.

Existem técnicas e estratégias que favorecem a sua concentração e evitam que você se distraia por qualquer coisa. Por isso vamos também te dar algumas dicas de como se concentrar nos estudos para melhorar ainda mais o seu desempenho e aprendizagem:

Controle a respiração

A correria do dia a dia nos deixa afoitos para fazer tudo com pressa, aumentando a ansiedade e a falta de concentração. Mas é possível controlar isso com um exercício simples de respiração. Antes de partir para a leitura ou para ver a aula on-line, feche os olhos e respire fundo, soltando o ar devagar. Procure eliminar qualquer pensamento da sua mente, abrindo espaço para que o seu corpo relaxe e se prepare para os estudos.

Mentalize seu objetivo do dia

Retome seu objetivo do dia, mentalizando o que precisa ser feito. Assistir à videoaula, realizar exercícios, fazer um trabalho ou terminar uma leitura. Programe seu cérebro para que ele saiba o que deve fazer e qual o tempo necessário para isso.

Alongue-se

Passamos o dia todo andando de um lado para outro — ou pior: sentados em frente ao computador —, o que deixa os músculos tensos. Antes de iniciar seus estudos, faça alguns alongamentos, especialmente pernas, braços, coluna e pescoço. Além de tirar a tensão, você estimulará o fluxo sanguíneo, deixando o corpo mais desperto.

Faça pausas

Quando você estuda por muito tempo, chega um momento em que seu cérebro tem dificuldades de assimilar o conteúdo. Muitas vezes, isso faz com que você deixe de estudar e perca o prazo para o atingimento dos seus objetivos. Mas não precisa ser assim.

Quando sentir que o estudo não está rendendo, faça uma pausa de 15 minutos. Caminhe pela rua, tome um café, distraia-se. O ideal é não estar preso a informações, como navegar na internet ou ver as notícias do jornal. Deixe que sua mente vagueie por coisas que nada têm a ver com seus estudos. Depois, volte e retome o que estava fazendo.

Durma bem

Estar descansado é fundamental para que você se mantenha atento e concentrado nas coisas que faz. Se você dorme pouco, levanta cedo, deixa os filhos na escola, vai para o trabalho, pega as crianças, faz o jantar, resolve as questões da casa e ainda vai estudar, não há como manter a concentração, pois seu corpo está cansado. É por isso que ter uma boa noite de sono é imprescindível para quem busca uma forma de se concentrar nos estudos.

Pratique exercícios

Mais uma atividade para colocar na agenda? Sim! Exercícios são vitais para manter a saúde e a disposição, pois liberam hormônios que favorecem a concentração e o bem-estar. Você não precisa passar 5 horas na academia. Uma caminhada pela manhã ou no final da tarde ou a prática regular de algum esporte já são suficientes para contribuir para que os seus estudos a distância fluam ainda melhor.

Cuide da alimentação

Quem nunca sentiu aquela sensação de peso no estômago e sono depois de uma refeição farta? Isso acontece porque, quando estamos realizando a digestão, há uma maior concentração de sangue na região do estômago, o que deixa o cérebro sem a irrigação adequada.

Para manter uma rotina de estudos tranquila e favorecer a sua concentração, mantenha uma alimentação leve, rica em fibras, proteínas e gorduras saudáveis. Evite comer muito carboidrato antes de estudar, pois eles são os maiores responsáveis por essa sensação de estômago pesado.

Para se organizar nos estudos a distância, dedique um dia para fazer o seu planejamento. Defina o seu plano de estudos, monte o seu ambiente para estudar, faça seu cronograma para melhorar a gestão do tempo e liste as técnicas que utilizará para se concentrar. A partir do dia seguinte, coloque seu plano em ação, sem esquecer de acompanhar seu progresso. Cada objetivo atingido será um motivo para comemorar, assim como um incentivo a mais para que você não desista da sua carreira e do seu aprendizado.

Fonte: Una Virtual

Como ter controle emocional no trabalho

Além de ajudar no desempenho e concentração, manter o controle pode também pode ser uma maneira de se destacar entre os colegas

Currículo e recomendações de antigas empresas não garantem mais a estadia em vagas de emprego. As empresas atualmente também buscam funcionários que tenham o controle emocional, que saibam lidar com a correria do cotidiano sem perder a cabeça.
Os especialistas e recrutadores explicam que o comportamento de um funcionário pode influenciar diretamente na postura dos demais trabalhadores. Por exemplo, um chefe que vive estressado pode também estressar a equipe, ou afastar os demais por causa da instabilidade emocional.

Além disso, o estresse também pode bater na porta de casa. Alguns funcionários podem carregar os problemas acumulados na rotina de trabalho e prejudicar o comportamento da família. Com rotinas de trabalho longas e acúmulo de tarefas, os trabalhadores podem descarregar os problemas profissionais no ambiente de família.

Acha que o controle emocional não afeta muita gente? Então, saiba que 44% as mulheres e 9% dos homens já choraram no trabalho pelo descontrole emocional – de acordo com a escritora americana Anne Kreamer.

O controle emocional, de acordo com os especialistas, pode ajudar no desempenho e concentração, mas também pode ser uma maneira de se destacar dentre os demais. Em controle é possível enxergar novas soluções e não deixar-se abalar facilmente pelas complicações do dia a dia. Tente dar uma aliviada no estresse com as dicas abaixo:

Controle-se!

Pense, antes de agir compulsivamente. Se precisar de um tempo no trabalho, pare um pouco e reflita sobre as tarefas. De longe, as respostas para os problemas chegam mais rápido.

Se coloque no lugar do outro

Não só no trabalho, mas com os amigos e família, coloque-se no lugar do outro e entenda porque alguma situação gerou o estresse. É o melhor jeito para conseguir resolver um problema, sem ter uma disputa de argumentos.

Autoconhecimento

Perceba quais são os momentos que levam ao estresse. Se for possível, converse com os colegas, amigos e familiares para saber o que pensam e como lidam, quando o estresse vem de você. Deste jeito é possível conter as explosões e resolver os problemas com mais cautela.

Fonte: Mais Equilíbrio

Marketing pessoal: 9 dicas para se destacar no trabalho

Demonstrar suas qualidades e fazer-se presente sem desrespeitar os outros requer atenção

Saber promover a si mesmo sem passar por cima dos outros ou parecer arrogante é uma tarefa que requer talento. A prática é importante para obter destaque no ambiente de trabalho e crescer profissionalmente. No entanto, se feita de maneira errada ou exagerada, pode ocasionar justamente o efeito oposto.

A linha que separa o marketing pessoal do exibicionismo e da “puxação de saco” é muito tênue. “Autopromoção não é legal. Por outro lado, ficar estagnado também não é nem um pouco satisfatório para a sua imagem. Tem que saber dosar”, afirma a psicóloga e coach Márcia Luz. Então, como mostrar suas qualidades e fazer-se presente sem desrespeitar os outros?

Como se destacar no trabalho

1. Exercite a liderança. Segundo define a coach, ser líder nada mais é do que ter a capacidade de influenciar as pessoas ao seu redor.

2. Transmita confiança. “Você precisa ser aquela pessoa em que os outros acreditam. Quando alguém tiver uma dúvida, vai olhar para você e saber que pode confiar na resposta”, diz.

3. Tenha visão. Procure enxergar o cenário como um todo, mas também fique atento às pequenas possibilidades de mudança que você pode oferecer para a empresa e que resultarão em grandes efeitos.

4. Tenha espírito de equipe. Pense como o grupo, e não individualmente. Ofereça mais.

5. Seja íntegro. “Busque sempre crescer profissionalmente. Porém, não passe por cima dos outros para que isso aconteça e não deixe que a ambição tome conta de você”, aconselha a psicóloga.

6. Mostre-se. Quando seu gestor pedir auxílio, apareça e prontifique-se para colaborar.

7. Seja otimista. Não significa ser utopista – apenas veja outras possibilidades.

8. Tenha paciência. “Dê tempo ao tempo. Saiba esperar. Porém, sem demorar muito para agir”, indica Márcia.

9. Seja pontual: Se o compromisso é às 15h, por exemplo, chegue com 15 minutos de antecedência. “Isso é um grande diferencial competitivo, pois as pessoas sabem que dá para contar com quem é pontual”, diz.

Fonte: Vix

Seis qualidades de uma pessoa que sabe trabalhar em equipe

A cooperação entre você e os seus colegas de trabalho pode alcançar resultados mais efetivos

Saber trabalhar em equipe é essencial se você quer uma carreira de sucesso. Uma equipe unida alcança resultados muito mais efetivos do que um grupo de indivíduos trabalhando sozinhos, já que existe a possibilidade de um ajudar o outro nas dificuldades de cada.

Confira 6 qualidades de uma pessoa que sabe trabalhar em equipe:

1. Confiáveis

Pessoas que sabem trabalhar em equipe são confiáveis. Isso faz com que os membros da equipe se sintam confortáveis em confidenciar informações e até pedir ajuda para esses indivíduos.

2. Comunicadores

Pessoas que sabem trabalhar em equipe também sabem como se comunicar bem, deixando todas as suas opiniões e objetivos claros para a equipe e sugerindo melhorias que elas julgam necessárias.

3. Escutadores

Assim como sabem se comunicar, pessoas que trabalham em equipe sabem ouvir o que os outros membros têm a dizer e identificar como suas opiniões podem ser um benefício para o time.

4. Ativos

Pessoas que sabem trabalhar em equipe são membros ativos do time, sempre dispostos a participar das atividades e realizar as tarefas que levarão a equipe ao seu objetivo.

5. Flexíveis

Pessoas que sabem trabalhar em equipe são flexíveis e sabem adaptar os projetos da equipe conforme as suas necessidades.

6. Comprometidos

Esses membros mais fortes da equipe são comprometidos e estão dispostos a trabalhar até que os seus objetivos sejam alcançados. Eles aparecem todos os dias com entusiasmo e sempre motivados a continuar trabalhando, incentivando os colegas do time a fazerem o mesmo.

Fonte: Universia Brasil

 

Saiba como usar o LinkedIn a seu favor

Descubra como usar o Linkedin, a rede social para trabalho, indo bem além do cadastro do seu currículo

Se você está trabalhando ou pretende começar a trabalhar em breve, é muito provável que você já tenha ouvido falar no LinkedIn — se é que já não tem uma conta por lá.

Lançado em 2003 na Califórnia (EUA), o LinkedIn é uma das redes sociais mais conhecidas e utilizadas por profissionais de várias partes do mundo. Ficando atrás somente de Estados Unidos e Índia, o Brasil é o país com mais usuários: são 20 milhões de perfis cadastrados.

Apesar da grande popularidade entre os brasileiros (que só aumentou desde que o site foi lançado em português em 2011), muitos ainda desconhecem a maioria das ferramentas que a plataforma oferece.

Diferente de outras redes sociais conhecidas, como o Facebook e o Twitter, o LinkedIn foi criado com o propósito de criar uma comunidade profissional. A intenção é que este seja um ambiente em que as pessoas possam ampliar seu networking e fazer contatos de negócio.

Para garantir maior visibilidade para o seu perfil – o que pode render muitas oportunidades profissionais – é importante ser um usuário ativo do LinkedIn. “É possível perceber que quanto mais interações você faz, mais retorno você acaba recebendo naturalmente”, explica Cristiano Santos, jornalista e especialista em social media.

Confira algumas dicas e ferramentas para tirar o máximo da sua conta no LinkedIn:

1) Mantenha seu perfil atualizado

Não, você não precisa ter uma mega experiência e lotar seu perfil de informações para que ele seja interessante. Mas é necessário que ele esteja sempre atualizado. Informações que devem ser priorizadas: (a) posição atual ou inspiração profissional, (b) resumo do que você faz ou já fez, (c) breve descrição de experiências anteriores, (d) formação acadêmica e cursos e (e) informações de contato.

barack-obama-linkedin2

2) Escolha uma foto (apropriada) para seu perfil

inmail-linkedin